Notícias

\'Assunto encerrado\', afirma Geraldo Julio


O ex-prefeito do Recife Geraldo Julio afirmou que sua possível candidatura à sucessão do governador Paulo Câmara (PSB) é um "assunto encerrado". O socialista se pronunciou, por meio de nota, em resposta às declarações do presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, em entrevista à Rádio Jornal na quarta-feira (15), apontando o ex-gestor como um nome forte dentro do partido para disputar as eleições de 2022.

"Gostaria de esclarecer que desde o mês de abril comuniquei oficialmente ao Governador e declarei à imprensa a minha decisão de não ser candidato a Governador nas eleições de 2022. Essa decisão já foi reafirmada por mim em vários veículos de comunicação. Comuniquei oficialmente ao Presidente Estadual do PSB, Sileno Guedes, também em abril, cinco meses atrás. Esse é um assunto encerrado", disse Geraldo Julio ao JC, ontem.

Durante a entrevista, Sileno Guedes explicou que o partido tem se organizado internamente com foco em fortalecer suas bancadas, mas que a discussão sobre quem será o candidato só será debatida em 2022. Apesar de enfatizar que o PSB vem apresentando bons quadros, seja de perfil técnico ou político, Sileno reforçou que Geraldo é o nome mais forte da sigla, com condições de promover unidade em prol da sucessão.

Apesar da negativa pública do atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Sileno destacou que ele é um "homem de partido" e que deverá seguir o que for determinado "no momento adequado".

ALTERNATIVAS

O ex-prefeito do Recife tem sido categórico ao afirmar que não será candidato ao Governo do Estado. Além desse posicionamento, o auxíliar também não tem sido visto em agendas ao lado de Paulo Câmara pelo interior do Estado, muito menos nos anúncios do plano de convivência com a covid-19. Sem estar no foco das atenções no ano pré-eleitoral, outros nomes começam a surgir como alternativa para o PSB.

Socialista já afirmaram que não passa despercebido pelo governador a atuação da secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, por exemplo. Isso porque em todos os eventos, segundo uma fonte em reserva, os elogios à atuação dela à frente da pasta, estão vindo de forma espontânea. Outros nomes que também já foram levantados foram os do secretário da Casa Civil, José Neto, e o do ex-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio Monteiro.

Por outro lado, há quem avalie a negativa reiterada do ex-prefeito do Recife como estratégia política. "Eu acho que o candidato natural a governador é Geraldo Julio. É claro que, como estratégia, as pessoas não vão dizer que o candidato é Geraldo, Geraldo não vai se posicionar como candidato, mas eu acho que o grande nome que o PSB e a Frente Popular têm é Geraldo Julio. E quando Geraldo diz que não é candidato, é porque ele não é candidato neste momento. Pode ser mais na frente", disse o diretor-presidente da Copergás, André Campos, em uma entrevista no mês passado.

Tabata vai se filiar ao PSB

A deputada federal Tabata Amaral, hoje no PDT, confirmou que irá se filiar ao PSB, partido do namorado, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), em uma entrevista da dupla ao programa Conversa com Bial, que foi ao ar às 0h45 desta sexta-feira (17). Em maio, ela foi autorizada pela Justiça a deixar o PDT sem perder o mandato na Câmara Federal.

Questionada sobre a associação que os eleitores poderiam fazer entre a entrada no novo partido e o relacionamento amoroso, a parlamentar disse que considera natural que ambos estejam na mesma agremiação partidária por pensarem muito diferente.

"Minha resposta a todo esse machismo, que com certeza vai vir, mas que já vem no dia-a-dia, é que eu tenho muito orgulho da trajetória que eu estou construindo com o meu time, com o nosso grupo, com os nossos voluntários. A minha trajetória na política, ela é independente. E, da mesma forma, a conversa com todos os partidos foi independente. Sendo muito sincera, assim, eu acho tão natural que eu e o João estejamos no mesmo lugar. Porque a gente tem uma visão de Brasil que é muito compartilhada", afirmou Tabata.

O prefeito recifense também fez questão de ressaltar a independência da deputada na migração partidária e classificou a chegada dela no partido como um elemento de renovação da sigla. "Tudo ela construiu com os seus próprios passos. E foi assim também nessa entrada no PSB. No momento, Bial, os partidos políticos precisam melhorar e muito. Ou a gente compreende que os partidos precisam se renovar, precisam discutir novos programas, ou a gente vai ter a garantia de que essas instituições não vão mais representar as pessoas no presente e no futuro", disse João Campos.

 

Fonte: Jornal do Commercio


« Voltar