Notícias

Filiados começam a tomar a primeira dose da vacina contra a covid-19


Idosos a partir de 80 anos, que residem na cidade do Recife, já podem, a partir desta sexta-feira (12), receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. É o caso do diretor de Aposentados e Pensionistas da nossa entidade, Antônio da Mota Silveira, de 84 anos, que tomou a primeira dose do imunizante nesta sexta-feira, dia 12, no drive-thru instalado no campus da UFPE, na Cidade Universitária.

 

Esse foi um dia de expectativa na vida do nosso diretor, que foi ao ponto de vacinação acompanhado pela filha mais velha, Fabiana. Ela transmitiu, via chamada de vídeo, o momento da vacinação, para que o irmão Alexandre, que mora na Espanha, também pudesse acompanhar.

 

“Passei o diz fazendo as coisas em casa, só esperando chegar a hora da vacinação, que é uma questão de vida ou morte. É importante tomar a vacina não só por nós, mas também por todos que convivem conosco, nossos familiares, amigos e vizinhos. Além de a gente se prevenir, estamos cuidando do próximo”, afirma Mota, que espera que os fazendários façam o mesmo.

 

“Alguns colegas estão reticentes com relação à vacina e continuam acreditando que a pregação da cloroquina é suficiente. Mas não podemos pensar apenas no nosso umbigo. É preciso conscientizar as pessoas que vivem ao nosso redor de que a vacinação é necessária e é o único caminho seguro para combater o coronavírus. Todos devem se vacinar, pois só assim poderemos voltar às atividades sociais sem medo de contrair a covid e repassar o vírus para outras pessoas”, ponta o diretor.

 

Quem também recebeu o imunizante foi o filiado José Olímpio Bonald, de 88 anos. O agendamento dele foi feito pela neta caçula, Maria Gabriela. “Eu estava muito ansioso, não via a hora de chegar a minha vez. No dia marcado, cheguei no Geraldão e tomei minha vacina. Foi muito rápido. Não precisei esperar nada. Não tive nenhuma reação nem senti dores”, declara Bonald que já está na expectativa para tomar a segunda dose.

 

“Tomar a vacina é uma obrigação nossa, pois é nossa única esperança, não tem para onde correr. Aos colegas que preferem não se vacinar, eu peço que pensem na família. Sou a favor de que todo mundo lá em casa tome a vacina. Jandira, minha esposa, está ansiosa para que chegue a vez dela”.


Foto: Laiziane Soares



« Voltar