Notícias

Família fazendária perde mais uma colega, a querida Zélia de Sá


A diretoria do Sindifisco-PE, com dor e pesar, recebeu nesta quinta (25), a notícia do falecimento da nossa colega Zélia Pereira de Sá, de 89 anos. A auditora fiscal atuou como diretora administrativa financeira adjunta do Sindifisco-PE na gestão 2001-2002, quando José Cândido Miranda foi presidente, e na gestão 2007-2008, que teve José Pessoa Lins na presidência. Zélia também atuou como diretora do Fisco Saúde, quando a entidade era administrada pelo sindicato.

Antônio da Mota Silveira, diretor de Aposentados e Pensionistas, foi um dos primeiros a manifestar-se sobre a fazendária aposentada e amiga. “Zélia era uma pessoa muito querida! Ela participativa não apenas das lutas sindicais, mas também na atuação social. Chovesse ou fizesse sol, ela comparecia aos almoços das quartas, na sede do sindicato. Amava o dominó, a música e uma boa conversa. Afável e muito educada, nunca reclamava de alguma coisa se por acaso não estivesse gostando. Amada por todos nós, que Deus a tenha ao seu lado! ”.

“Tive o prazer de trabalhar com Zélia na Fazenda e ainda tê-la muitas vezes como companhia no dominó na casa de meu sogro. Zélia era uma colega e amiga querida. Ela merece todo o carinho dos colegas e homenagens pela mulher incrível que sempre foi. Essa está sendo uma semana muito difícil para todos nós”, lamentou o presidente do Sindifisco-PE, Alexandre Moraes.

Wanda Clides, que foi diretora de Política Social na última gestão da qual Zélia fez parte, também recordou com carinho da amiga. “Zélia era uma pessoa de astral contagiante e incentivadora do crescimento do Sindicato e do Fisco Saúde. Convidava todos para se associar, participava de tudo. Ela, ao lado de Glória, Jonas e Zé Luiz, era uma das primeiras a nas quartas para o jogo de dominó. Ela adorava música e o nosso bate papo sem fim”.

O Sindifisco-PE se solidariza com todos os amigos e familiares de Zélia de Sá. Segundo a família, ela foi cremada, como era de sua vontade. Zélia estava com a saúde debilitada, após sofrer um AVC em dezembro passado. Recentemente, por causa das sequelas do AVC e de doença renal crônica, seu quadro pirou, ela foi hospitalizada e morreu por falência dos órgãos.

A nora de Zélia, Patrícia, nos enviou uma nota em nome da família. “Na cerimônia, que foi realizada no Morada da Paz, em Paulista, seus filhos, nora, netos, familiares e amigos prestaram uma justa homenagem a esta mulher guerreira, que ainda jovem saiu de Custódia, no Sertão do Estado, para o Recife com o propósito de estudar tornando-se uma funcionária pública exemplar. Dona Zélia sempre apoiou e ajudou a todos que dela precisaram de forma justa e ilibada”.



« Voltar