Notícias

Vacinação avança no Recife e Olinda


Ao ampliar a vacinação contra covid-19 para o público a partir de 43 anos, o Recife dá um passo importante para avançar na proteção de um grupo que concentra adultos jovens economicamente ativos e que, em grande parte, precisam se deslocar diariamente por atuarem em serviços essenciais. Em Olinda, o agendamento também começou para quem tem 45 anos ou mais. Para especialistas, prosseguir com a imunização seguindo o critério por faixa etária, em paralelo com a vacinação de grupos prioritários (como o das comorbidades), é fundamental para progredir com o enfrentamento à pandemia, controlar a disseminação do coronavírus, evitar casos graves e mortes.

O agendamento da vacina para o novo público no Recife foi liberado ontem, Dia Mundial da Imunização. A aplicação já é feita a partir de hoje. A cidade tem hoje 506.482 pessoas (cerca de 30% da população) contempladas com pelo menos uma dose do imunizante. O número coloca o Recife como a capital do Nordeste que mais aplicou doses contra covid-19 até o momento e também coloca a cidade, no quesito de cobertura vacinal, acima da média nacional, que é de 23%. "Esse grupo (a partir dos 43 anos) tem mais de 130 mil pessoas, e a gente está pronto para vacinar todas elas. Hoje já estamos vacinando uma média de nove mil pessoas por dia e, nos próximos dias, esse número vai ser ampliado", garantiu o prefeito João Campos.

A secretária Municipal de Saúde, Luciana Albuquerque, destacou que, a cada grupo anunciado para ser beneficiado na campanha contra covid-19, aumenta a esperança e a velocidade para vencer a pandemia. "O engajamento das pessoas é muito importante neste trabalho, e o recifense está fazendo bonito, visto que temos aumentado o número de pessoas que temos vacinado por dia. Essa participação precisa continuar. Por isso, tão importante quanto tomar a primeira dose é tomar a segunda, pois a maior probabilidade de ficar imune é com o esquema completo", reforçou Luciana.

Em Olinda, quem tem a partir de 45 anos, além de jornalistas e radialistas de qualquer idade que trabalhem em empresas de comunicação com sede na cidade, devem fazer o agendamento da vacinação no site: olinda.pe.gov.br.

Para a médica epidemiologista Ana Brito, pesquisadora da Fiocruz Pernambuco, o momento agora também é de fazer uma vigilância e busca ativa dos faltosos, que são as pessoas que estão com atraso na segunda dose. "Também é importante considerar que o Recife tem apresentado uma condição boa na questão na operacionalização da campanha. A cidade criou mecanismos que dão igualdade para as pessoas marcarem e receberem as doses. Isso mostra que, se tivéssemos vacinas o suficiente, já teríamos imunizado a população", frisa Ana Brito.

MAIS DOSES

Chegou ontem a Pernambuco mais uma remessa de vacinas. O lote, com 150.750 doses da AstraZeneca, seguiu para a sede do Programa Estadual de Imunização (PNI-PE), para checagem e divisão entre os municípios. O envio às 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) começou na madrugada de hoje. "Temos uma logística de distribuição ágil, para que todas as cidades consigam planejar e avançar nas suas ações. De posse da vacina, os municípios precisam atuar para usar as doses também com agilidade, otimizando ao máximo o insumo", informou o secretário Estadual de Saúde, André Longo.

Com as novas remessas recebidas, Pernambuco totaliza 4.520.100 doses para imunização contra a covid-19. Desse total, 2.319.920 são AstraZeneca, 1.959.160 CoronaVac e 241.020 doses Pfizer.

 

Casos leves crescem em crianças

O número de crianças e adolescentes com diagnóstico confirmado de covid-19, entre os casos leves, aumentou de forma expressiva entre 12 de março e 8 de junho deste ano em Pernambuco, em comparação com o mesmo período de 2020. Com base nos boletins epidemiológicos divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), nos três primeiros meses de pandemia, foram confirmados 1.202 casos leves de covid-19 até os 19 anos. Já de março ao início de junho deste ano, o número saltou para 16,7 mil crianças e adolescentes com quadro leve da doença. Ou seja, na ponta do lápis, um aumento maior do que 1.200%.

Para especialistas, parte desse avanço pode ser explicado pela ampliação dos testes de covid-19, que passaram a ser feitos, com uma maior frequência, também entre crianças. No começo da pandemia, os exames eram destinados a pacientes com condições mais graves de saúde que sugeriam a infecção pelo coronavírus. Agora, com uma oferta e um acesso maior para realização dos testes, profissionais de saúde indicam que os pais levem os filhos para fazer o exame em parte dos casos, especialmente aqueles que apresentam sintomas, mesmo brandos, e/ou tiveram contato recente com pessoas que positivaram para a doença.

Por outro lado, os casos graves de covid-19 entre crianças e adolescentes diminuíram em Pernambuco. O total saiu, de março a início de junho de 2020, de 374 para 119 confirmações no mesmo período deste ano: uma queda de aproximadamente 68%. O número de mortes, nessa faixa etária, também foi menor nos últimos três meses, em comparação com o início da pandemia: saiu de 29 para 17 óbitos de 12 de março a 8 de junho deste ano.

BALANÇO

Ontem a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) confirmou mais 6.487 novos casos da covid-19. Segundo a pasta, 2.810 deles foram dos últimos três dias, e o maior registro de casos está ligado ao acúmulo de dados do fim de semana e em problemas no sistema do Ministério da Saúde. "Para se ter ideia, cerca de 20 mil exames foram notificados no sistema, dos quais 31% foram positivos - a maior parte de casos leves", explica a SES. Agora, Pernambuco totaliza 509.184 casos confirmados da doença, sendo 46.718 graves e 462.466 leves. Além disso, o Estado totaliza 16.549 mortes em decorrência de complicações pela covid-19.

 

Fonte: Jornal do Commercio


« Voltar